#19 Nas trincheiras: Segurança Psicológica

Hannah Chamon, especialista em Segurança Psicológica e Chief Strategy Officer na The Airship
Andréa Marqueto, Executiva de Contas Enterprise da Vindi

O trabalho remoto e a crise econômica provocada pela COVID-19 trouxe inúmeras reflexões e mudanças nas relações de trabalho. 

Nesse novo cenário, é necessário fortalecer a cultura organizacional, promover ambientes seguros e cuidar da saúde mental dos colaboradores. O grande desafio antes era como adaptar as relações, já que a maioria das empresas no Brasil não estavam preparadas para o trabalho remoto.

O que você verá no episódio Nas Trincheiras sobre Segurança Psicológica?

Falar sobre Segurança Psicológica é importante, mas como transferir essas ações a cada colaborador? Como considerar a diversidade de realidade de cada um, liderar e promover ambientes mais produtivos?

No cast comandado por Wagner Narde, CTO aqui na Vindi, Hannah Chamon e Andréa Marqueto falam sobre:

  • Quando se fala do lado do colaborador, como ele pode construir um ambiente mais positivo, seguro e influenciar o próprio microcosmo? 

     

  • E quando um deles precisar de ajuda psicológica, como a empresa deve se posicionar sem expor aquela necessidade? 

     

  • Além disso, quando a crise passar, quais são os pontos fundamentais para garantir a segurança psicológica de todos que trabalham naquela empresa?

Como garantir a Segurança Psicológica dentro da empresa?

Algumas dicas podem ser essenciais para te ajudar a ser interessante e construir uma boa rede de contatos. Por isso, guarde o recado dos nossos especialistas:

  1. Ofereça um canal aberto e um anônimo de comunicação aos colaboradores;
  2. Separe uma parte do time de RH para pensar apenas em Segurança Psicológica;
  3. Resolva conflitos o mais rápido possível;
  4. Estude sobre comunicação não violenta (CNV) e assíncrona;
  5. Intensifique o olhar em colaboradores que estão em grupos de risco ou em situações de maior vulnerabilidade (mães e pais solo, com familiares contaminados.

Portanto, se você quiser saber tudo o que a especialista Hannah compartilhou no Dentro do Ringue, ouça agora mesmo!

Já conhece a Vindi?

Em primeiro lugar, a Vindi é uma das maiores startups do Brasil, com a plataforma de gestão de pagamentos e de cobrança mais completa do mercado.

Da mesma forma, nossa solução inclui vendas avulsas, parceladas e a nossa especialidade: vendas baseadas na Economia da Recorrência.

Portanto, se você quiser saber mais sobre nós e conversar com um dos nossos especialistas, nos acompanhe nas redes sociais e visite nosso site.

Nós estamos prontos para tirar todas as suas dúvidas e ajudar sua empresa a vender mais e sempre!

Chegou agora aqui no Dentro do Ringue pelo cast de Segurança Psicológica?

O Dentro do Ringue foi criado para trazer insights para sua empresa, reflexões, debates e muito conteúdo para te ajudar a vender mais e sempre.

Além disso, nós nos preocupamos em sempre trazer especialistas de mercado que entendem tudo sobre aquele tema!

Por isso, se você acabou de chegar por aqui, aproveite para maratonar os últimos episódios da série Nas Trincheiras:

#18 Networking: a arte de ser interessante sem ser interesseiro!

Denis Strum, Diretor de Marketing da Synapcom
Bruno Berezaga, Partner Manager da Shopify

Falar sobre networking é um desafio dentro das empresas. Muita gente vê a prática como falsidade, outros defendem a importância de fazer contatos e nutri-los com o tempo.

No entanto, como podemos crescer na carreira sem conhecer pessoas do nosso mercado? Além disso, como podemos nos relacionar no trabalho com a mesma intensidade e verdade com que nos relacionamos na vida pessoal?

Quem aqui não quer estar perto de alguém inspirador? Um mentor, alguém que invista e reconheça talentos, e melhor: que nos ajude a alavancar na carreira? 

Da mesma forma, estar cercado de pessoas admiráveis e participar de comunidades é fundamental para a construção de uma profissão sólida e que gere frutos.

Esse é o tema do Dentro do Ringue de hoje!

O que você verá no episódio Nas Trincheiras sobre Networking?

No cast comandado por Camilla Ferreira, head de CX aqui na Vindi, Bruno Berezaga e Denis Strum falam sobre:

  • Qual a real importância de se ter uma rede de networking nos negócios e na vida pessoal? 
  • Quais as dicas pra quem está começando a carreira agora?
  • Será que pessoas mais introvertidas têm mais dificuldade em construir relacionamentos em geral, tanto no trabalho como na vida pessoal?
  • O que nunca pode ser feito por quem busca contatos na carreira? Existe um jeito errado de fazer networking?

E muito mais!

Como garantir que seu Networking está sendo efetivo e verdadeiro?

Algumas dicas podem ser essenciais para te ajudar a ser interessante e construir uma boa rede de contatos. Portanto, guarde o recado dos nossos especialistas:

  1. Não apareça só quando precisar de algo;
  2. Vá a feiras, eventos, workshops, palestras e tudo o que for oferecido dentro da sua profissão;
  3. Não tenha medo de falar, mas saiba que a comunicação assertiva e não-violenta podem te ajudar muito;
  4. Estude, se informe, seja interessante e ofereça conteúdo também;
  5. Não fale mal dos outros, seja dentro ou fora do ambiente de trabalho;
  6. Mostre interesse real e de verdade pelas pessoas.

Já conhece a Vindi?

Em primeiro lugar, a Vindi é uma das maiores startups do Brasil, com a plataforma de gestão de pagamentos e de cobrança mais completa do mercado.

Da mesma forma, nossa solução inclui vendas avulsas, parceladas e a nossa especialidade: vendas baseadas na Economia da Recorrência.

Portanto, se você quiser saber mais sobre nós e conversar com um dos nossos especialistas, nos acompanhe nas redes sociais e visite nosso site.

Nós estamos prontos para tirar todas as suas dúvidas e ajudar sua empresa a vender mais e sempre!

Chegou agora aqui no Dentro do Ringue pelo cast de Networking?

O Dentro do Ringue foi criado para trazer insights para sua empresa, reflexões, debates e muito conteúdo para te ajudar a vender mais e sempre.

Além disso, nós nos preocupamos em sempre trazer especialistas de mercado que entendem tudo sobre aquele tema!

Por isso, se você acabou de chegar por aqui, aproveite para maratonar os últimos episódios do Dentro do Ringue:

Bom cast!

#17 Nas trincheiras: E-commerce e clube de assinaturas estão crescendo mesmo na crise?

Mauricio Salvador, presidente da ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico)

Stephane Kaloudoff, CEO do clube de assinaturas Sociedade da Mesa

Muitos segmentos estão sofrendo com a crise econômica provocada pela COVID-19. Em todos os âmbitos, podemos observar que poucos estão conseguindo sobreviver, e até mesmo crescer, apesar do cenário desafiador.

No Vindi Insights do blog da Vindi, todas as semanas estudamos o mercado e os dados internos da nossa plataforma, onde mais de 6.000 clientes rodam todos os meses.

Dessa forma, em abril e maio, clubes de assinatura cresceram em média, 20%. Além disso, o segmento de e-commerce revelou ainda o seu potencial, crescendo 31% só na segunda semana de maio.

Esses dados podem ser encontrados facilmente, e você pode conferir agora clicando aqui.

O que você verá no episódio Nas Trincheiras sobre e-commerce e clube de assinaturas

No cast comandado por Andressa Rosa, redatora e roteirista aqui na Vindi, você verá quais nichos dentro do segmento e-commerce estão se destacando e como a ABComm está trabalhando para orientar e ajudar as empresas.

Além disso, serão mostrados os números do primeiro clube de assinaturas do Brasil, a Sociedade da Mesa, que continua crescendo e surpreendendo o mercado.

Da mesma forma, você verá como o comportamento do consumidor está se adaptando a essa nova realidade. Será que a forma de vender e comprar mudará drasticamente quando a crise passar?

E, se você acabou de abrir uma loja virtual, precisa prestar atenção no que?

Portanto, se você quer entender mais sobre esses segmentos, ouça até o final e anote todas as dicas deste cast. Nós temos dados valiosos do mercado para você!

Saiba mais sobre a Vindi

Em primeiro lugar, a Vindi é uma das maiores fintechs do Brasil, e temos a plataforma de gestão de pagamentos e de cobrança mais completa do mercado.

Da mesma forma, nossa solução inclui vendas avulsas, parceladas e a nossa especialidade: vendas baseadas na Economia da Recorrência.

Além disso, nós acreditamos que empresas que nasceram digitais e que se baseiam na recorrência sofrem menos em crises e tempos incertos.

Nosso CEO, Rodrigo Dantas, fez uma análise sobre isso e você pode ler agora mesmo clicando aqui.

Portanto, se você quiser saber mais sobre nós e conversar com um dos nossos especialistas, nos acompanhe nas redes sociais e visite nosso site.

Nós estamos prontos para tirar todas as suas dúvidas e ajudar sua empresa a vender mais e sempre!

Chegou agora aqui no Dentro do Ringue pelo cast de e-commerce e clube de assinaturas?

O Dentro do Ringue foi criado para trazer insights para sua empresa, reflexões, debates e muito conteúdo para te ajudar a vender mais e sempre.

Além disso, nós nos preocupamos em sempre trazer especialistas de mercado que entendem tudo sobre aquele tema!

Por isso, se você acabou de chegar por aqui, aproveite para maratonar os últimos episódios do Dentro do Ringue:

Bom cast!

#15 Personalização: Hacks de Marketing para sair do básico

Efrain Corleto, Gerente de Marketing da Vindi

Diogo Souza, Analista de CRO da Vindi

Qual a melhor estratégia de Marketing para seus objetivos? Aí está a pergunta de 1 milhão de reais que pode salvar muitos negócios, não é mesmo?

Para Diogo Souza, de nada vale investir em personalização se o time de Marketing não tem um objetivo claro e métricas para avaliar os resultados obtidos.

No entanto, existem estratégias para que você consiga se beneficiar e aumentar seu engajamento, sempre pensando no cliente.

Da mesma forma, Efrain Corleto explica que não é a personalização a grande vilã dos hacks de marketing, e sim a má comunicação.

Será que existe um limite para a personalização? Além disso, é ético usar os dados do seu cliente para criar campanhas pensadas nele?

O que você verá no episódio de Hacks de Marketing

No cast comandado por Elson Martins, coordenador de performance aqui na Vindi, você entenderá mais sobre:

  • A importância de conhecer seu público;
  • Como ser especialista no produto que você está vendendo;
  • Formas de gerar empatia na sua comunicação;
  • Como fazer uma personalização completa e que gere resultados;
  • Microsegmentação;

E muito mais!

Saiba mais sobre a Vindi

Em primeiro lugar, a Vindi é uma das maiores fintechs do Brasil, e temos a plataforma de gestão de pagamentos e de cobrança mais completa do mercado.

Da mesma forma, nossa solução inclui vendas avulsas, parceladas e a nossa especialidade: vendas baseadas na Economia da Recorrência.

Portanto, se você quiser saber mais sobre nós e conversar com um dos nossos especialistas, nos acompanhe nas redes sociais e visite nosso site. Nós estamos prontos para tirar todas as suas dúvidas e ajudar sua empresa a vender mais e sempre!

Chegou agora aqui no Dentro do Ringue?

O Dentro do Ringue foi criado para trazer insights para sua empresa, reflexões, debates e muito conteúdo para te ajudar a vender mais e sempre. Além disso, nós nos preocupamos em sempre trazer especialistas de mercado que entendem tudo sobre aquele tema!

Por isso, se você acabou de chegar por aqui, aproveite para maratonar os últimos episódios do Dentro do Ringue:

Neste episódio, anunciamos algumas vagas que estão abertas na Vindi. Por enquanto, nosso direcionamento diante da crise do novo Coronavírus é congelar as contratações. Esperamos recomeçar os processos o mais rápido possível!

Rodrigo Dantas, CEO da Vindi

Pablo Silva, Head de Produto da Vindi

Wagner Narde, CTO da Vindi

As equipes multidisciplinares estão em alta no mundo das startups. Mas será que é possível trabalhar com essa metodologia nas áreas de Engenharia e Produto?

Quais os caminhos possíveis para se trabalhar com Tecnologia? E qual o background necessário para dizer que pode trabalhar com Produto? Como nós pensamos sobre isso aqui na Vindi?

No cast de hoje, falaremos sobre como é importante gerar valor, falar com o usuário, entender as dores dos nossos clientes e impactar positivamente o negócio.

Nossa cultura nas equipes de Engenharia e Produto está em ênfase no Dentro do Ringue de hoje!

O que mais valorizamos nas equipes de Engenharia e Produto?

Em primeiro lugar, nós queremos verdadeiros donos do negócio, que tenham como prioridade o trabalho em grupo, o desenvolvimento constante e a vontade de crescer junto com a Vindi, impactando o negócio constantemente.

Segurança e Protagonismo também são pontos destacados pelos nossos heads. Além disso, nós somos totalmente transparentes nos processos de seleção e entrevistas, já que dar match com os nossos valores é fundamental.

Dessa forma, se você quer trabalhar com a gente, esse cast é muito importante para que você tome a decisão de enviar seu currículo. Ouça até o fim e guarde todas as dicas dadas aqui!

Além disso, faz parte da nossa missão de te ajudar a vender mais e sempre! Por isso, nos siga nas redes sociais e acompanhe o conteúdo que sempre compartilhamos aqui.

Portanto, clique no banner abaixo para assinar nossa newsletter e ficar por dentro de todas as novidades e tendências do mercado de trabalho.

Ouça outros episódios do Dentro do Ringue:

Se você quer conhecer mais sobre como funciona um clube de assinaturas de moda e como adequir a esse modelo, esse cast é pra você!

Episódio #6 Clube de Moda: como personalizar um serviço em massa?

Carina Fernandes, blogueira e fundadora da Vistame.

Imagine a seguinte situação: você tem um evento importante para ir e descobre que não tem a roupa perfeita. Vai até o shopping mais próximo e a confusão começa no estacionamento.

Depois de aproximadamente 30 minutos procurando por uma vaga, você consegue parar no lugar mais distante possível, além de perceber que, se o estacionamento está assim, provavelmente o shopping está abarrotado de gente.

Daí em diante, são filas nos provadores, peças que não vestem bem, atendimentos que não vão de encontro com suas expectativas, filas nos caixas e muita frustração. Lá se foram 2, 3, 4 horas do dia completamente estressantes e que você não desejaria nem para o pior inimigo.

Nesse dia (que você provavelmente já passou), seu maior desejo era ter uma empresa que entregasse roupas na sua casa que fossem feitas pensando no seu corpo, para que você experimentasse com calma, se visse dentro delas e que ainda tivessem uma boa relação custo-benefício.

E se eu te dissesse que essa empresa já existe e tá dando sopa por aí?

Conheça a Vistame

Fundada por Carina Fernandes, a Vistame é um clube de moda que oferece serviço de assinatura mensal recorrente para a prestação de consultoria ou curadoria de estilo, online, focado em mudar seu estado de espírito através da forma como se veste, seja para si mesmo – aumentando sua autoestima e autoconfiança – ou para os outros, desenhando a imagem que quiser construir e transmitindo uma mensagem sem precisar falar nada.

Primeiro você passa pelo diagnóstico. A Vistame entende qual imagem você quer passar pro mundo, como é seu corpo, quais as suas cores e estampas favoritas e quais peças vão valorizar sua beleza.

Além disso, você recebe a caixa no conforto da sua casa, não paga pelo frete nos dois sentidos e não é obrigada a ficar com as peças que não gostar. Parece sonho, mas é verdade mesmo!

Foto do clube de moda vistame para ilustrar uma box

Reprodução: instagram @vistameoficial

Como resultado, você economiza tempo e dinheiro para se preocupar com aquilo que é mais importa. Longe do estresse dos shoppings e da frieza do e-commerce, as consultoras da empresa estão sempre prontas para te ajudar.

Vale lembrar que as peças têm valores que cabem no seu bolso e se você devolver a box intacta por 3 meses consecutivos, sua assinatura é cancelada porque a Vistame entende que esse modelo de consultoria não está sendo bacana pra você.

O resto, você ouve no podcast dessa semana!

Outros clubes de moda que você precisa conhecer

Para completar sua nova rotina de cuidados pessoais, separamos outros clubes de moda que você vai adorar!

Glambox

Na Glambox, você escolhe o plano, preenche seu perfil de beleza e recebe, todos os meses, caixas exclusivas com produtos das grandes marcas de cosméticos.

Além disso, você pode participar das ações de marketing e ganhar Glampoints, que podem ser trocados por produtos do Glamclub.

Clube da Preta

O Clube da Preta é um clube de assinaturas de moda que reúne produtos criativos e diversificados dos segmentos de vestuário, artes e acessórios feitos por afroempreendedoras(es).

Assim, história e cultura afro são o core da empresa. Você recebe em casa livros, camisetas e acessórios exclusivos que geram grande impacto social e estimulam o consumo sustentável.

SoxBox

Meias estilosas, diferentonas e enviadas direto para a sua casa? Temos também!

Na SoxBox, você receberá mensalmente meias exclusivas, com preço justo e com alta qualidade. A devolução (caso não goste) é gratuita e você pode escolher planos mensais, trimestrais e semestrais.

A revolução da recorrência

A recorrência é o modelo de pagamento que mais cresce no Brasil. Um estudo da Gartner Group revela que, em 3 anos, aproximadamente 75% do mercado varejista vai oferecer serviços de assinatura.

Da mesma forma, esse modelo creceu aproximadamente 167% nos últimos anos e já mostrou que veio pra ficar!

Recorrência #4 – Transformação Digital: como ir do online para a gôndola

Recorrência #5 – Quem veio primeiro: o ovo ou a recorrência?

Neste episódio, vamos falar como foi a participação dos colaboradores da Vindi para contratar o próprio chefe, Head de Marketing. Como é essencial a presença do time neste momento para aculturar o novo gestor da área.

Episódio #5 Como contratar seu próprio Chefe

Host: Lidiane Oliveira, Redatora da Vindi

Participantes deste cast: Fernanda ramos, Mariana cremonesi e o Head de Marketing, Efrain Corleto.

 

Historia

Garagens, transistors, meditação, microprocessadores, LSD e inconformismo. Esse, era o ambiente em Palo Alto, Califórnia no início dos anos 70.

Esse ambiente produziria uma das maiores revoluções pela qual a humanidade já passou. E essa revolução começou com dois jovens montando kits com teclados, monitores e microprocessadores. 

Em Junho de 1975, enquanto Love Will Keep Us Together tocava nas rádios, Steve Wozniak mudava o mundo com sua criação, um teclado acoplado a um monitor que exibia os caracteres digitados, parece simples, mas essa foi a base da construção de todo o século XXI. 

Mas essa história não é sobre o “Woz”, Essa é a história do seu amigo, outro Steve. O Jobs.

Steve Jobs, que havia abandonado a universidade para se dedicar a coisas como meditação, caligrafia e dietas experimentais, foi capaz de ver na criação do seu amigo o futuro. Aquele equipamento estaria em casas comuns por todo o planeta em poucos anos.

Os primeiros 25 Apple I foram vendidos a uma loja de informática local e, alguns anos depois, o Apple II transformou a Apple.inc em uma empresa milionária.

Mesmo com o sucesso do Apple II, a trajetória da empresa teria alguns poréns.

O Apple III e o Lisa foram fracassos de vendas e performance. E a Apple só voltaria aos holofotes em meados dos anos 80. 

Com um monumental comercial exibido durante o Super Bowl a Apple apresentava  ao mundo o Macintosh, o computador que mostraria porque 1984 não seria igual a 1984, numa referência ao clássico de George Orwell.

O Macintosh foi um sucesso, a apresentação, sua interface e inovações encantaram o público. Esse sucesso acabou trazendo à tona alguns problemas de Jobs. Sua personalidade difícil e suas excentricidades, criavam cada vez mais atritos com suas equipes e com o conselho da Apple. 

Nesse momento entra na história John Sculley III.

Contratação de um novo Ceo e demissão do Fundador. 

Frase: Você quer passar o resto da sua vida vendendo água com açúcar ou você quer uma chance de mudar o mundo?

 

Essa foi a frase com a qual Steve Jobs seduziu John Sculley, e tirou ele de uma carreira de sucesso na Pepsi, onde ele passou ser responsável pelo time de vendas na Apple.

Para algumas pessoas, Sculley sucumbiu à filosofia corporativa da Apple em prol do lucro da empresa. O fato é que, durante os 10 anos que comandou a empresa, a receita da gigante de Cupertino saltou de US$569 milhões para US$8,3 bilhões.

Mesmo tendo sido contratado por Jobs, os atritos entre os dois se tornaram constantes, as visões não batiam. Steve continuava com sua excentricidades e o conselho da Apple e Scully lutavam para manter funcionários e organizar a empresa.

Em 1985, após uma série de embates, o conselho de diretores da Apple, junto com Scully, removeu Jobs da maioria de suas atividades. Ele não aceitou aquilo e, a partir daquele momento Steve Jobs, fundador, estava fora da empresa que tinha criado com seu amigo 20 anos antes.

Problemas com a Apple

Apesar de hoje a Apple ser uma das únicas empresas no mundo que valem mais de 1 trilhão de dólares. Em 1996 a empresa estava à beira da falência.
Muitos dos diretores não tinham perspectiva alguma de escapar do abismo que estava no horizonte da companhia.

Existia uma linha confusa de produtos em lançamento, a qualidade estava em declínio e a marca já não tinha a mesma percepção de qualidade, então a empresa fechava todos os trimestres fiscais no vermelho. Enquanto isso, no mesmo ano a Microsoft estava liderando o mercado com o sucesso do Windows 95.

Criação da Next e compra da NexT pela Apple com o retorno de Steve Jobs.

Fora da Apple, Jobs fundou a Next, empresa de computadores para bater de frente com a sua antiga empresa.

Era uma verdadeira inovação para a época, o sistema operacional NeXTSTEP apresentava diversos diferenciais que influenciaram os computadores como conhecemos hoje.

Steve jobs usando seu computador, o Next

Outro fato muito importante, é que ele também fundou a Pixar, que em parceria com a Disney, produziu animações de sucesso como Toy Story, WALL-E e Os Incríveis, rendendo à companhia grande destaque na área.

No final de 1996, a Apple decidiu comprar a Next Computers e trouxe de volta Steve Jobs para os poderes da Apple como CEO interino. Chegou decidido mudar o que fosse preciso para corrigir os erros que afetava a grande maçã. Tanto que acabou com diversos produtos da empresa.

Em 1997, a Apple ainda estava em crise, porém, a Microsoft deixou de lado a rivalidade entre os negócios e aceitou investir R$ 150 milhões de dólares em ações, ajudando a companhia de Cupertino a se firmar em uma época em que a Maçã estava desmoralizada no mercado. No mesmo ano a TIME estampou Steve Jobs ao telefone com Bill Gates, agradecendo à Microsoft por ter salvo a Apple.

 

Steve jobs ligando para billgates

 

O retorno de jobs renovou a imagem da Apple, ajudando a trazer a volta da aura de inovação que a companhia teve em seus primeiros anos.Como consequência, houve uma valorização nas ações. A Apple para de fazer computadores a partir daquele momento. A empresa criou objeto de desejo e estilo de vida!

E então, nasceu um novo conceito de computadores pessoais: as novas máquinas transparentes e coloridas trouxe uma nova impressão para o mercado…de que a concorrência havia parado nos anos 80.Mesmo após sua saída e retorno à Apple, a personalidade de jobs não havia mudado: o novo jobs ainda era o mesmo jobs.Seu gênio difícil era muito criticado, mas sua obsessão pela perfeição e inovação, transformou a Apple na empresa mais valiosa da época.

Steve jobs de fato havia mudado o mundo.

 

LINKS IMPORTANTES:

Neste episódio, vamos discutir sobre a indústria erótica no Brasil. Como é a dificuldade de vincular sua marca em meios tradicionais e como o Sexlog se tornou a maior rede social de sexo do país.

Recorrência #2 – A maior rede social de sexo: você conhece ou vai fingir que não?

Mayumi Sato – Sócia e diretora da eSapiens, responsável pela área de marketing de uma das maiores redes sociais de sexo da américa latina, o sexlog.

 

 

Atualmente, existem inúmeros desafios no mercado adulto do país. Um dos que mais chamam a atenção para a área, é a dificuldade de trabalhar com estratégias comuns do marketing tradicional:

  • Como comprar tráfego;
  • Redes sociais ;
  • Comprar banners em sites, backlink, outdoors e afins;
  • O Google tira a relevância desses canais – o que também dificulta as estratégias de ranqueamento orgânico.

 

Para o Sexlog, isso não é diferente. Apesar de crescer mais de 3 milhões de clientes por ano, EXCLUSIVAMENTE com orgânico, sem nenhuma mídia paga, isso é um baita desafio.

Uma pesquisa feita pela Sexhot diz que, só no Brasil, aponta que o mercado pornográfico atingiu mais de 22 milhões de pessoas. Destas, mais de 70% são homens. E, parece até curioso, mas mais de 40% destas pessoas são casadas ou namoram.

 

Um mercado que dita têndencias.

Uma outra dor gigantesca do mercado, por exemplo, citado pela Mayumi no evento Recorrência, é que serviços básicos como Gateways de pagamento ou anti-fraudes, se recusam trabalhar com mercado adulto ou, simplesmente, atender as demandas específicas. Então, qual a solução? Eu te falo: fazer dentro de casa!

Quer um reflexo bem legal disso? O player do Youtube nasceu em cima de uma necessidade do mercado de vídeos adultos. Aquela timeline que, quando ao passar o mouse mostra o progresso do vídeo, veio por que as pessoas queriam saber qual o minuto pular para começar de fato assistir o vídeo. Legal né?

Um ponto bem legal, também comentado no evento, foi o “tabu” de trabalhar com sexo no Brasil e, talvez, no mundo. Pense: se muitas vezes as pessoas têm vergonha de falar disso no pessoal, imagina levando isso para o mercado de trabalho? 

Imagine a dificuldade de enviar um release para um jornalista e ouvir um não sem motivos. Infelizmente, o mercado ainda não é maduro para o SEXO.

 

Alguns dados bem legais do REDTUBE Brasil.

  • Tempo médio no site 9 minutos;
  • Dias com maior quantidade de visitas: sábado e segunda às 10h da manhã ou 1h da manhã;
  • O mercado brasileiro é o segundo que mais consome vídeos no site no mundo.
Dados do redtube

Fonte: Exame

Sexlog, uma rede para ligar pessoas com pessoas.

A rede social do “um amigo meu me falou” conta com mais de 11 milhões de clientes no mundo e trata-se, apenas, do maior site do gênero da América Latina. Voltada exclusivamente para swings, o sexlog promove encontros, sejam pessoais ou virtuais. 

LINKS IMPORTANTES:

 

Neste episódio, vamos discutir como começar com uma estratégia de inside sales. Você não precisa de um CRM de vendas se seu processo não estiver bem estruturado.

Recorrência #1 – Como começar sua estratégia de inside sales usando um caderno

Rodrigo Stoqui – Responsável pela operação no Brasil do Pipedrive, o maior CRM de vendas do mundo, para mercados SMB, feito exclusivamente para vendedores.

 A tradução literal de inside sales é “Vendas Internas” que basicamente se estrutura em ligação, e-mails e reuniões online. Uma das grandes vantagens é a produtividade de conseguir escalar seu processo de vendas e fazer o máximo de contatos por dia, logo reduzindo custos de operação e aumentando os resultados.

(Créditos da imagem ao meetime)

A popularidade deste método se deve à flexibilidade na inserção em qualquer negócio, seja pequenas, médias e até enterprises. uma operação baseada em inside sales pode vender  tanto para leads inbound quanto para outbound.

Um processo muito conhecido entre os negócios hoje! Mas, a pergunta que fica no ar: Seu negócio realmente precisa de um CRM de Vendas?

Pensa comigo, entre processo e tecnologia…sempre o processo tem que prevalecer na hora que estiver começando com inside sales.

Independente da plataforma ou forma que você vai implementar esta área no seu negócio, algo tem que ficar bem explícito neste processo: tenha certeza que todos os vendedores estejam a par do processo comercial. Uma plataforma robusta não irá ajudar no processo de vendas se caso seu processo comercial não esteja alinhado entre todos da equipe.

Pipedrive, Dentro do ringue.

Uma das maiores plataformas CRM de vendas do mundo (uau) com mais de 70 mil clientes.

Exclusivamente com foco nos gestores e vendedores a ferramenta tem como base a venda a partir de atividades. Entre diversos recursos alguns interessantes são: gestão de funil, integração de e-mail, atividades e metas, relatório e vendas e previsão de vendas. 

Um foco enorme para as empresas terem uma compreensão do seu negócio  para identificar falhas, oportunidades e melhorias dentro do processo comercial.

Podcast produzido pela Vindi ao vivo no recorrência 2019.

LINKS IMPORTANTES:

 

Nesse episódio, vamos discutir sobre a data mais importante do ano para as empresas e consumidores: A black Friday.

Episódio #3 Black Friday: As empresas realmente ganham dinheiro com essa data?

Host: Rodrigo Dantas, CEO da Vindi

Pedro Eugeniofundador do Black Friday,considerada a maior data comercial do país e outras datas como o Cyber Monday, Brasil Game Day,Web Fashion Week, Kids Baby Day e o Boxing Day. 

Felipe Held – Head Marketing na Konduto, startup que desenvolveu um método inovador para detectar fraudes em compras pela internet.

Há várias versões para a origem do termo “Black Friday”. Porém, a mais aceita é a que diz que o termo surgiu na década de 60, como uma gíria policial que se referia ao trânsito caótico que ocorria após o feriado de Ação de Graças, devido a grande quantidade de pessoas na rua para as compras de Natal.

Mas qual a origem real da Data?

Para os comerciantes da época, a data servia para limpar os estoques para os produtos natalinos. Também existem muitas outras histórias sobre o termo em si: como com a queda da bolsa de Nova York em 1929.

Depois de algum tempo os lojistas começaram enxergar o dia com um novo significado, o de “Voltar ao Azul”.

E começaram a dar uma interpretação positiva ao termo “black friday”. Era o momento em que os estabelecimentos retornavam ao azul, ou seja, voltavam a ter lucro. 

No Brasil, sua primeira edição foi em 2010. Mas, ela era exclusiva para o e-commerce. Naquele primeiro ano, foram vendidos R$3 milhões, o que é pouco em relação aos R$1,9 bilhões alcançados em 2016, já com a entrada das lojas físicas nessa data. Atualmente, esta data movimenta mais de 2.5 bilhões apenas no Brasil.

Existem muitos negócios que tentam quebrar a tradição da black friday, Criando o mês de black friday, semana e alguns, até mesmo, começando antes mesmo de novembro.

Quem não lembra do mercado Guanabara com sua pré-black friday? Ou até mesmo o saldão da magazine luiza com seus descontos super agressivos. Muitas pessoas ainda dormem na fila para conseguir comprar seus produtos.

Mas, fica uma pergunta que paira em cima de toda essa discussão: as empresas realmente ganham dinheiro nesta data?

Apesar do início controverso, a black Friday tem se consolidado como uma das datas mais importantes do Brasil, impulsionando vendas a ponto de superar dia das mães e natal.

 

LINKS IMPORTANTES: